Página em Branco: Deixa minha felicidade florescer

By Jubscreusa - 01:43

Ouvindo: Spirits - The Strumbellas.

Hoje eu acordei com vontade de me jogar da ponte mais próxima. Hoje eu acordei com ódio do mundo, eu sentia raiva das coisas e me sentia triste ao mesmo tempo. Eu queria gritar, tirar esse sentimento de dentro de mim, mas quem disse que eu conseguia? tudo que eu queria conseguir era ser feliz. Inúmeras e inúmeras tentativas de seguir aquilo que as pessoas tanto dizem que é verdade. "Você é o que você faz" então, eu sou nada? Eu levantei da cama e me tranquei no banheiro. Parece coisa de gente mimada mas lá é o único lugar em que eu posso chorar sem ter ninguém pra me consolar. Eu não queria consolo. Eu queria colocar isso pra fora. Queria tirar de mim toda essa angústia de não gostar do meu próprio corpo. Queria tirar de mim essa angústia de achar que não sou capaz de fazer as coisas. Eu queria tirar tudo isso de dentro de mim e acreditar que eu podia ser melhor, que eu podia ser possível. A cada lágrima que caia no meu rosto, uma parte de mim ia embora. Naquela tão pequena lágrima todo meu esforço se escondia. A menina que queria ser feliz mas o mundo não deixava, com inveja. A menina que tentava, mas só caia, nunca levantava. Quando essa menina iria aprender?

Eu lavei o rosto, e pensei em tudo que fiz até aqui. Percebi que sou muito nova e que tudo isso passa. O tempo leva nossas mágoas e trás outras, quem sabe se nas outras vezes que vir ele vai me trazer uma que doi menos? Ou talvez uma que machucasse mais? Nunca se sabe. Eu ouvi no fundo da mente a frase que eu sempre usei pra nunca desistir. E de repente eu acordei, e percebi que eu ainda tinha um mundo inteiro pra viver pela frente. Eu tinha uma vida inteira pra cair, me decepcionar, amar, chorar, porque desistir dela? De fato vão vir pessoas pra me abalar psicologicamente, pra me fazer pensar que não sou capaz de fazer um mísero teste. Mas na verdade eu sou capaz de coisas que nem eu mesma sei. A dor que eu escondo no meu peito, desabrochou e quer florescer. Ela quer se tornar felicidade e dessa vez não a colocarei na sombra pra murchar. A darei decepções, para tornar ela forte o bastante. Darei amor, pra dar a ela sensibilidade. Darei alegria, pra mostrar a ela o que é vida. As pessoas destroem a felicidade das outras com inveja porque não conseguem ser do mesmo jeito. Isso, é fato. Então eu enxaguei meu rosto e sai por aquela porta. Peguei a minha bolsa e fui atrás da primeira decepção que viesse pela frente, porque afinal dizem que no fim do arco íris sempre tem um pote de ouro, quem sabe se no fim de cada decepção não tem uma peça do quebra cabeça da felicidade?

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários